Tuesday, August 7, 2012

O Milênio No Antigo Testamento


Encontra-se O Milênio No Antigo Testamento?
Por Dr. David Reagan
O ponto de vista amilênial de profecia Bíblica dos últimos dias é o ponto de vista da maioria da Igreja hoje - esse é o ponto de vista tanto da igreja Católica quanto a maioria das denominações protestantes principais.  
Amilenialistas acreditam que Jesus está reinando atualmente sob toda a terra do Céu pela Igreja. Eles acreditam então que estamos agora vivendo o Milênio - que começou na Cruz e continuará até a Segunda Vinda. Eles não acreditam que Jesus voltará à terra para reinar de Jerusalém.
Para sustentar seu ponto de visa, os Amilenialistas têm que espiritualizar a maioria das profecias do final dos tempos, argumentando que elas não significam o que dizem. Então, por exemple, eles ignoram o fato que Apocalipse 20 nos diz seis vezes que o Milênio durará 1,000 anos. Os Amilenialistas rejeitam os mil anos como sendo "figurativo", querendo dizer só uma  longo tempo.
Uma coisa interessante que já notei depois de muitos anos sobre os Amilenialistas é que eles têm pouco ou quase nenhum conhecimento das profecias contidas nas Escrituras hebraicas. A maioria dos Amilenialistas que já conheci acreditam que o único lugar na Bíblia aonde o Milênio é mencionado é em Apocalipse 20.

Uma Experiência Particular

Deixe-me da-lhe um example do que estou falando. Alguns anos atrás fui convidado a fazer uma apresentação em uma grande convenção Cristã. Especificamente, pediram que falasse sobre, "Porque Eu Acredito Que Jesus Voltará Para Reinar na Terra."
Me disseram que teria 30 minutes para fazer minha apresentação. Quando eu perguntei porque me deram tão pouco tempo para falar, me responderam, "É porque haverá outro orador que dirá porque é que ele acredita que não haverá um futuro reino de Jesus na terra. Cada um de vocês falarão 30 minutos, e depois haverá 30 minutos para perguntas e respostas."
Eu aceitei o convite. O outro locutor acabou sendo um professor distinguido de teologia de uma Universidade Bíblia.
Sabia que a platéia seria composta de pessoas que acreditam que um reino futuro de Jesus na terra é mencionada só em um lugar na Bíblia - em Apocalipse 20. Então, eu decidi falar sobre uma passagem no Antigo Testamento - a profecia contida em Zacarias 14:1-9.
Essa profecia diz que chegará um dia em que Jerusalém será cercada por exércitos de inimigos. Metade da cidade cairá, e aí o Senhor voltará para o Monte das Oliveiras. Quando Seus pés tocarem a montanha, ela partirá no meio, e o restante judeu fugirá da cidade e esconderá-se ao na montanha. O Senhor então dirá uma palavra supernatural, e todos os exércitos dos inimigos serão destruídos instantaneamente. Neste ponto, "….Senhor será rei sobre toda a terra" (versículo 9).
O outro orador, falou depois de mim, ignorou totalmente a minha apresentação. Ele leu uma redação acadêmica baseada nas opiniões de teólogos e não nas Escrituras.
Ao final, durante o tempo de perguntas, perguntaram ao outro orador, "Qual é a sua explicação de Zacarias 14:1-9?" Sua resposta foi exatamente, "eu não tenho idéia o que a passagem quer dizer, mas te garanto que já foi realizada algum dia em algum lugar."

Uma Doutrina Estranha

Não me surpreendi por essa resposta estranha porque fui criado entre as igrejas quais estavam conduzindo essa conferência, e tinha todo conhecimento da atitude deles quanto às profecias do Antigo Testamento.
Na sua tentativa em defender seu ponto de vista Amilenial, eles tinham desenvolvido uma doutrina que diz que "toda profecia do Antigo Testamento já foi cumprida." Para justificar esse entendimento, eles sempre apontam para as palavras de Jesus em Lucas 24:44 - São estas as palavras que vos falei, estando ainda convosco, que importava que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.
O problema que têm em usando essa passagem para justificar seu afasto de profecia do Antigo Testamento é que esse verso não diz que todas as profecias do Antigo Testamento já foram cumpridas. Diz que todas serão cumpridas. As profecias da Primeira Vinda foram cumpridas. As profecias da Segunda Vinda todavia não foram cumpridas, e Zacarias 14:1-9 é uma dessas profecias.

Espiritualização Afobada

Ao menos meu oponente não espiritualizou a passagem, como o fazem a maioria dos Amilenialistas. Veja, por exemplo, o teologo do 20º século Lorraine Bettner. Em seu livro, O Milênio, ele argumentou que o Monte das Oliveiras é um símbolo do coração humano. As forças inimigas são símbolos da maldição no mundo que ataca o coração. Quando uma pessoa recebe Jesus como Senhor e Salvador, Ele entra em seu coração, causando-o a romper em arrependimento. Ele então derrota todas as forças do inimigo e começa a reinar sob o coração daquela pessoa.
Isso, claramente é uma interpretação ridícula dessa passagem, mas representa o tipo de jogo que os Amilenialistas têm que fazer com as Escrituras para sustentar seu posicionamento.
Em resumo, Amilenialistas ou ignoram as passagens do Antigo Testamento sobre a Segunda Vinda e o Milênio, ou eles as espiritualizam, ou eles debatem que já foram cumpridas.

Um Grande Problema Espiritual
Enfim a maioria dos Amilenialistas simplesmente não conhecem as Escrituras do Antigo Testamento, e isso é um grande problema na Igreja hoje porque isso afeta não só profecia mas toda a doutrina.
Eu fui criado em "Igreja Novo Testamento". A maioria do nosso estudo Bíblico era focalizado no Novo Testamento porque ensinavam que o Antigo Testamento foi "pregado à Cruz," e já não era mais valido. A maioria de nós não possuíamos uma Bíblia completa. Quando estudávamos a Bíblia, levávamos os nossos Novo Testamentos.
A idéia que o Antigo Testamento havia sido "pregado à Cruz," e que não era mais relevante foi baseado em Colossenses 2:14 que diz, "…."e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz;" Esse verso fala de um "escrito de dívida" não o Antigo Testamento. Fala da dívida que nós devíamos à Deus pelos nossos pecados. Ao tomar os nossos pecados sobre Ele mesmo, Jesus, Quem não tinha pecado, pagou a nossa dívida pela Sua crucificação (1 Pedro 2:24).

A Relevancia do Antigo Testamento 

Essa doença espiritual de ignorar o Antigo Testamento é epidêmico na Igreja hoje, e é um problema sério porque não tem como entender o Novo Testamento sem entendimento do Antigo Testamento.
Por exemplo, Jesus é chamado por Paulo em 1 Coríntios 15:20 como "as primícias" dos que ao de ser ressuscitados. Não tem outra maneira de entender essa expressão fora do entendimento do sistema sacrificial do Antigo Testamento.
Igualmente, o livro de Hebreus refere-se a Jesus como o "Sumo Sacerdote da nossa confissão" (Hebreus 3:1) e como "sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque" (Hebreus 5:10). Essa terminologia não pode ser entendida fora de

Outra Experiência Particular
Deixe-me da-lhe outro exemple da importancia da ignorancia do Antigo Testamento. Quando cresci numa igreja Amilenial, uma das coisas que sempre ouvia durante os sermões era, "Não existe nem um versículo na Bíblia que dá a mínima indicação que Jesus algum dia pisará na terra novamente".
Imagine a minha surpresa quando, aos 12 anos de idade, eu descobri acidentalmente Zacarias 14:1-9 que diz sem equívoco que o Messias voltará ao Monde das Oliveiras e que quando Seus pés tocarem a terra, a montanha romperá em duas.
Eu levei essa passagem ao meu pastor e perguntei a ele o que significava. Ele estudou-a em silêncio durante muito tempo, e aí ele disse, "Filho, eu não sei o que querem dizer esses versos, mas te garanto que não significam o que eles dizem!"
Mais tarde descobri que Zacarias 14 não é o único lugar no Antigo Testamento em que as Escrituras falam que Jesus voltará à terra. Considere, por exemplo, Ezequiel 43:7 em que Jesus, aparecendo pre-incarnado, leva Ezequiel numa viagem visionária do Templo do Milênio, e durante essa visita, Ele diz "Filho do homem, este é o lugar do meu trono, e o lugar das plantas dos meus pés, onde habitarei no meio dos filhos de Israel para sempre..."
Acredito que é importante notar que o profeta Ezequiel escreveu que quando o Senhor voltar, o nome da cidade de Jerusalém será trocada a 'Yahweh-Shammah", querendo dizer "O Senhor está lá."

Entendendo Profecia
Conhecimento de profecia no Antigo Testamento é especialmente necessária para entender profecia no Novo Testamento. Apocalipse e Daniel encaixam-se como uma mão dentro de uma luva. Uma não pode ser entendida sem a outra.

O livro do Apocalipse contém mais de 300 citações ou referencias ao Antigo Testamento, e nem uma sequer é identificada. Alguém sem entendimento do Antigo Testamento poderia ler o livro de Apocalipse e nunca saber o quão é entrelaçado com profecias do Antigo Testamento. Considere o tema do livro que encontra-se em Apocalipse 1:7 - "Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele."
Esse relato é uma união de duas passagens do Antigo Testamento, uma atrás da outra. A primeira encontra-se em Daniel 7:13 e a segunda em Zacarias 12:10.

O Valor do Antigo Testamento

O Apóstolo Paulo enfatizou a importancia do Antigo Testamento quando ele escreveu o seguinte à Timóteo: "desde a infância sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela que há em Cristo Jesus.(2 Timóteo 3:15).
A grande parte dos Cristãos lêem essas palavras e acham que Timóteo deve ter tido uma cópia do Novo Testamento para estudar. Não foi assim. O Novo Testamento todavia não tinha sido recolhido quando Paulo escreveu essas palavras ao Timóteo. Quando Paulo referiu-se às "sagradas letras" referia-se ao que hoje chamamos o Antigo Testamento. E o ponto que ele estava fazendo é que a realização por Jesus das profecias acerca a Sua Primeira Vinda foram suficientes para produzir nele a fé em Jesus como o Messias prometido.
Paulo procedeu naquela carta à Timóteo a declarar que "Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça..." (2 Timóteo 3:16). A expressão "toda escritura" quer dizer exatamente o que diz. Refere-se tanto ao Novo Testamento quanto ao Antigo Testamento.

Evangelismo Com Base no Antigo Testamento
A primeira pregação feita acerca do Evangelho - o sermão de Pedro em Pentecostes - foi baseado completamente em profecias do Antigo Testamento. Tudo o que Pedro pregou do começo do sermão até o final foi citar profecia do Antigo Testamento sobre o Messias e aí proclamar que Jesus havia cumprido-as (Atos 2:14-36).
Filipe o evangelista fez a mesma coisa quando encontrou o eunuco etíope, um judeu observante que havia ido a Jerusalém para tomar parte nas festas e estava voltando para a seu país na Africa (Atos 8:26-39). Ele descobriu que o homem estava lendo um texto do Antigo Testamento de Isaías sobre a vinda do Messias como um "cordeiro sofredor" (Isaías 53:1-9).
Filipe explicou a passagem ao etíope, e o homem aceitou o fato que Jesus havia cumprido-a. Enfim, ele foi batizado. Ele então continuou em seu caminho, regozijando que havia encontrado o Messias.

Profecia Messiânica
Existem mais de 300 profecias no Antigo Testamento pertencendo à Primeira Vinda do Messias, mas muitas delas são repetitivas. As que são distintas e separadas são 109. Existem muitas mais que essas referindo-se à Segunda Vinda e o Reino do Milênio.
Todas as profecias da Primeira Vinda foram cumpridas literalmente, e não ha nenhuma razão para pensar que o cumprimento das profecias da Segunda Vinda será diferente. Precisamos, pois, levar o Antigo Testamento a sério, e precisamos estuda o que diz profeticamente sobre o final dos tempos.

A Segunda Vinda
A Bíblia ensina que Jesus estabelecerá Seu reino sobre toda a terra durante a Sua Sengunda Vinda, e o Antigo Testamento contem mais profecias sobre esse acontecimento. Como já vimos, Zacarias 14 diz que o Senhor voltará ao Monte das Oliveiras desde onde Ele subiu ao Céu. No livro de Isaías, que fala do mesmo acontecimento, ele refere-se ao Senhor voltando ao Monte Sião, que é outro nome para Jerusalém: "o Senhor dos exércitos descerá, para pelejar sobre o monte Sião, e sobre o seu outeiro. Como aves quando adejam, assim o Senhor dos exércitos protegerá a Jerusalém; ele a protegerá e a livrará, e, passando, a salvará." (Isaías 31:4b-5).
Tanto Isaías como Jeremias retratam o Senhor voltando em ira. Jeremias diz que ele "rugirá" dos céus (Jeremias 25:30-31). Isaías diz que Ele estará "cheio de indignação" e Sua lingua será como um "fogo consumidor" (Isaías 30:27-28). Sofonias diz que o dia da Sua volta será um de "tribulação e angústia" e "ruína e desolação" (Sofonias 1:14-18).

O Reino Milenar
Após o derramamento da ira de Deus pelo Messias nos inimigos de Deus, Ele estabelecerá Seu reino sobre a terra, e Ele começará a manifestar Sua glória: "Então a lua se confundirá, e o sol se envergonhará, pois o Senhor dos exércitos reinará no monte Sião e em Jerusalém; e perante os seus anciãos manifestará a sua glória." (Isaías 24:23).
Todos os vários aspectos do reino milenar do Senhor estão descritos detalhadamente no livro de Isaías. O livro do Apocalipse é sobre a Tribulação. É o livro de Isaías que revela os detalhes do Milênio.

Características Políticas
O reino será internacional (Isaías 2:2 e 9:6-7). Será caracterizado por paz (Isaías 2:4), e o mundo será abençoado com retidão (Isaías 11:4-5) e justiça (Isaías 42:3-4).
O trono do Senhor será estabelecido em Jerusalém, pois Ele ocupará o trono de David (Isaías 2:3). O governo dEle será um teocrático em que Ele servirá como rei, legislador e juiz (Isaías 33:17-22). Os Resgatados reinarão com o Senhor como príncipes (Isaías 32:1). E já que o Senhor reinará de Jerusalém, a nação de Israel será a mais gloriosa do mundo (Isaías 2:2-349:22-23, e 60:1-62:7).

Características Espirituais
Isaías toma muito espaço explicando e esboçando as benções espirituais do Milênio, a melhor de todas sendo o fato que a glória e santidade do Senhor será revelada (Isaías 40:3-552:13-1561:3 e 66:18). Prevalecerá a santidade (Isaías 4:2-4) e uma atitude e regozijo e louvor: E os resgatados do Senhor voltarão; e virão a Sião com júbilo, e alegria eterna haverá sobre as suas cabeças; gozo e alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido. (Isaías 35:10).
O Templo re-construído em Jerusalém servirá como o centro de louvor universal (Isaías 2:2-356:6-8, e 60:7b13). Por incrível que pareça, a glória do Shekinah de Deus estenderá sobre a cidade de Jerusalém como um abrigo (Isaías 4:5). E "a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar." (Isaías 11:9).

O Resgate da Natureza
Uma parte do Milênio que é muito acentuado pelos profetas hebraicos é o resgate da natureza. A terra de Israel não será mais um lugar desolado (Isaías 62:3-5). Ao invés, "o fruto da terra" será o orgulho de Israel (Isaías 4:2). "porque águas arrebentarão no deserto" e os desertos serão mananciais de água (Isaías 35:6b-7).
Além da abundância agricultural, o reino animal será restaurado à perfeição original. Animais venenosos deixarão de ser venenosos, e os animais carnívoros tornarão herbívoros. Todos os membros do reino animal viverão juntos em paz perfeita uns com os outros, e para com a Humanidade (Isaías 11:6-9 e 65:25).
A Qualidade de Vida
Num trecho excitante em Isaías 65, o profeta revela que a expectativa de vida dos que permanecem na carne será aumentada ao "como os dias da árvore" (Isaías 65:22). Consequentemente, qualquer um que morre aos 100 anos será considerado um jovem (Isaías 65:20).
Todos terão sua própria casa e videira. Não haverá gente sem casa ou passando fome (Isaías 65:21-22). Todo trabalho dará lucro (Isaías 65:23) no sentido que será produtivo, e não será confiscado por qualquer outro.
Doença será eliminada (Isaías 33:24) e pessoas nascidas com limites físicos serão sarados: "Então os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se desimpedirão. Então o coxo saltará como o cervo, e a língua do mudo cantará de alegria" (Isaías 35:5-6).

O Climax de Isaías
Isaías recebeu tantas visões gloriosas e palavras de sabedoria acerca do reino majestoso do Senhor que ele parece quase que explodir de antecipação quando ao fim chega no final do livro dele. Isso o levou a repentinamente declarar: "Oh! se fendesses os céus, e descesses, e os montes tremessem ã tua presença, como quando o fogo pega em acendalhas, e o fogo faz ferver a água, para fazeres notório o teu nome aos teus adversários, de sorte que ã tua presença tremam as nações!" (Isaías 64:1-2).
Lembre-se que eu só citei algumas passagens do livro de Isaías. Existem muitas outras sobre o Milênio no Antigo Testamento.

Profecias dos Profetas Maiores Sobre o Milênio
Jeremías mostra o Milênio como um tempo durante o qual Israel e Judá serão unidos em paz, e a cidade de Jerusalém será chamada "o trono do Senhor" (Jeremías 3:17-18). Jesus, "um Renovo Justo", "reinará e procederá sabiamente, executando o juízo e a justiça na terra." (Jeremías 23:5). E por causa do Seu novo cargo como rei, o nome de Jesus mudará para Yahweh-Tsidkenu, querendo dizer "o Senhor Justiça Nossa" (Jeremías 23:6).
Davi, em seu corpo glorificado, servirá como o rei de Israel (Jeremías 30:9), e todos os inimigos de Israel serão destruídos (Jeremías 30:11). A cidade de Jerusalém e o Templo serão reconstruidos (Jeremías 30:18), e a população será multiplicada (Jeremías 30:19). A tristeza do povo judaico tornará em regozijo (Jeremías 31:13).
Os judeus se arrependerão da rejeição do seu Messias e farão em um novo pacto com Deus que será escrito em seus corações (Jeremías 31:31-34 e 32:37-40). As ruas de Jerusalém se encherão com "a voz de gozo e a voz de alegria..." (Jeremías 33:11).
Ezequiel confirma que os judeus farão um novo pacto com Deus que será escrito em seus corações (Ezequiel 11:19-20 e 16:60-62). Ele também confirma que o Senhor garantirá a segurança e irá "executar juízos contra todos os que estão ao seu redor e que os desprezam" (Ezequiel 28:26). A terra do Egito será altamente punida pelo seu mal tratamento de Israel e permanecerá uma terra desolada durante os primeiros 40 anos do Milênio (Ezequiel 29:9-16).
Ezequiel também confirma que Davi será rei de Israel (Ezequiel 34:23-24 e 37:24). O Senhor derramará "chuvas de bênçãos" (Ezequiel 34:26-29) sob Israel, incluindo abundância de agriculturas (Ezequiel 34:26-29) e a re-edificação do Templo (Ezequiel 37:26-27). O resultado é que a glória do Senhor permanecerá entre as nações (Ezequiel 39:21). 
Do capítulo 40 até 46, Ezequiel concentra-se em descrever o Templo Milênar. É muito maior do que todos os Templos judaicos que já existiram, e o Santo dos Santos do Templo não contém a arca. Jeremías já havia profetizado que a arca não seria reconstruída ou lembrada (Jeremías 3:16).
Uma das profecias de Ezequiel do final dos tempos que já foi cumprida tem a ver com a Porta Oriental. Ele diz que esse será selado e ninguém o abrirá até que o Messias voltasse (Ezequiel 44:1-3). A porta foi selada nos anos 1500's e continua fechada até hoje.
Ezequiel revela que parte da redenção da natureza será a mudança do Mar Morto em um mar de águas salgadas saudáveis (Ezequiel 47:8-9). Ele termina o livro contando que a terra de Israel, resgatada e com fronteiras expandidas, será dividida entre as 12 tribos (Ezekiel 48).
Daniel em suas profecias dos últimos dias concentra na Tribulação e o Anticristo. A sua primeira menção do Milênio encontra0se no capítulo 2 aonde ele interpreta o sonho de Nabucodonozor sobre a ordem dos impérios gentios. Ele revela que o último império será destruído durante o retorno do Messias e o estabelecimento do Seu reino "que não será jamais destruído" (Daniel 2:44-45). 
No 7º capítulo, Daniel enfatiza  que os Resgatados reinarão com o Messias: "O reino, e o domínio, e a grandeza dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo……." (Daniel 7:27). Daniel termina seu livro indicando que haverá um intervalo de 75 dias entre o tempo do retorno do Senhor e o estabelecimento do Seu governo global (Daniel 12:11-12). Será provavelmente durante esse período que o Messias julgará todos os que sobrevivem até o final da Tribulação para determinar se passarão o Milênio na carne. Provavelmente também será durante esse período que o governo do Messias será organizado, em parte dando cargos aos Resgatados em seus corpos glorificados.

Profecias dos Profetas Menores Sobre o Milênio
Oséias escreve que Deus usará o Milênio para cumprir todas as promessas que Ele fez aos judeus (Oséias 1:10-112:14-20, e 14:4-7).
Ele confirma que Deus estabelecerá paz entre os animais e paz entre as nações (Oséias 2:18). E ele esclarece que as benções de Deus também serão derramadas sobre os gentios (Oséias 2:23).
A profecias mais fascinante de Oséias refere-se à temporada do retorno do Senhor. Ele indica que será "dois dias" depois de haver subido ao Céu (Oséias 5:15-6:2). O contexto da passagem indica que os dois dias representam 2.000 anos. Oséias diz que depois dos dois dias, o Messias "nos levantará" (a ressurreição) para que "viveremos diante dele" ao "terceiro dia" (os 1.000 anos do Milênio).
Joel escreve em suas profecias principalmente sobre o "dia do Senhor" que, em seu contexto, é o dia da Segunda Vinda do Messias (Joel 1:152:12:13 e 3:14). Ele nos dá uma mostra do Milênio quando diz que quando Messias voltar, Ele habitará "em Sião, o meu santo monte" e que Jerusalém será caracterizada por santidade (Joel 3:1721). Ele também confirma que a terra será revitalizada com sua produção de agricultura abundante: "os montes destilarão mosto, e os outeiros manarão leite, e todos os ribeiros de Judá estarão cheios de águas" (Joel 3:18). Ele também afirma que o Egito será desolado (Joel 3:19).
Amós apresenta um retrato do Messias voltado como um leão rugindo (Amós 1:2). A única coisa que ele tem a dizer sobre o Milênio é que será caracterizado pela abundância da agricultura (Amos 9:14) - tanto que o "o que lavra alcançará ao que sega" (Amós 9:13).
Obadias seu único comentario acerca do Milênio é que será caracterizado por santidade (Obadias 17).
Jonas não diz nada sobre o Milênio.
Miquéias começa sua profecia com uma visão da Segunda Vinda (Miquéias 1:3-4). Quanto ao Milênio, Miquéias apresenta uma visão gloriosa dele, e o faz com palavras que são quase idênticas às de Isaías (Miquéias 4:1-7 e Isaías 2:2-4). Ele enfatiza a paz e prosperidade que caracterizará o Milênio (Miquéias 4:3-4). Também sublinha a promessa de Deus que Ele fará dos judeus uma nação principal da terra durante o Milênio (Miquéias 4:6-7)
Naum como Joel, concentra-se nas profecias do "dia do Senhor" (Naum 1:1-8). A única coisa que ele tem a dizer quanto ao Milênio é que os judeus viverão em completa paz (Naum 1:15) e a honra da nação será restaurada (Naum 2:2).
Habacuque começa o seu livro assegurando o leitor que Deus será fiél em mandar o Messias voltar "tempo determinado(Habacuque 2:3). Ele segue apresentando uma visão muito dramática da Segunda Vinda (Habacuque 3:3-13). Ele não diz nada sobre o Milênio.
Sofonías começa o seu livro apresentando uma visão poderosa e assustadora da Segunda Vinda (Sofonías 1:14-18). Ele concluí o seu livro com uma profecia breve do Milênio (Sofonías 3:14-20). Ele revela que o Senhor juntará novamente todos os judeus crentes à terra de Israel e que Ele viverá entre eles (Sofonías 3:17-20). E ele promete que Deus fará da nação judaica a nação principal da terra (Sofonías 3:20).
Ageu explica que durante a temporada da Segunda Volta, Deus abalará os céus e a terra (Ageu 2:6-7), destruindo todos os impérios gentios (Ageu 2:22). A riqueza das nações serão transferidas à Jerusalém, e o Templo será reconstruído em glória (Ageu 2:7). Após isso, usando Zorobabel, o governador de Judá, como um símbolo profético do Messías, Ageu diz que Deus O dará o Seu anel de selar - significando que Ele será Rei de reis e Senhor de senhores (Ageu 2:23).
Zacarias diz que o Senhor "voltará à Jerusalém" e reconstruirá o Templo (Zacarias 1:16). Ele chama o povo judeu a "Exulta, e alegra-te" porque o Senhor o disse que "eis que venho, e habitarei no meio de ti" (Zacarias 2:10).
Quanto a natureza do reino do Senhor, Zacarias diz que ele será "assentar-se-á no seu trono, e dominará" confirmando que o governo será uma teocracia (Zacarias 6:12-13). A cidade de Jerusalém será chamada "a cidade da verdade" e "o monte santo" (Zacarias 8:3). Os judeus crente reunirão-se de todas as partes do mundo (Zacarias 9:14-17), e a população de Jerusalém viverá em paz e prosperidade (Zacarias 8:812). O povo judaico será tão abençoado que quando um judeu caminha por perto, dez gentios pegarão a sua túnica, "Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco." (Zacarias 8:23).
Zacarias continua dizendo que durante o Milênio, será preciso todas as nações mandarem delegações à Jerusalém para celebrarem a Festa dos Tabernáculos (Zacarias 14:16). Aquelas nações que não o fazem não terá chuva (Zacarias 14:17-18).
Zacarias concluí seu livro enfatizando a santidade que abundará durante o Milênio. Ele diz que os sinos nas cabeçadas de cavalos serão imprimidos com as palavras "santo ao Senhor" (Zacarias 14:20-21).
Malaquías contem varias passagens sobre a Segunda Vinda, mas a única coisa que diz sobre o Milênio é que o nome do Senhor "será grande entre as nações" (Malaquías 1:11).

Outras Profecias no Antigo Testamento
Existem referências espalhadas nos livros históricos do Antigo Testamento acerca tanto da Segunda Vindo e do Milênio, os Salmos estão repletos delas, mas não tenho o espaço para tabelar todas em detalhes. Você pode ver essa lista no meu livro The Christ in Prophecy Study Guide. Basta dizer que acredito que apresentei mais do que suficiente evidência para provar que o Antigo Testamento está cheio de profecias falando do fim dos tempos e o Milênio.

Alguns Pontos Finais
Deixe-me sublinhar mais uma vez que Apocalipse 20 não é o único capítulo na Bíblia aonde o Milênio é profetizado. Ele nos dá alguma nova informação que não é mencionado em lugar algum:
1) Satanás será preso durante o Milênio.
2) O reino do Senhor durará 1,000 anos. (Isso é indicado em linguagem figurativa no livro de Oséias).
3) O Milênio terminará com uma grande revolução que terá como seu líder Satanás e que será derrubada por Deus.
Sabemos pelo livro de Atos que depois da Sua ressurreição Jesus passou 40 dias com Seus discípulos "lhes falando das coisas concernentes ao reino de Deus" (Atos 1:3). Ao final dos 40 dias, quando Ele reuniu os discípulos no Monte das Oliveiras para Sua acensão ao céu, eles perguntaram-o, "Senhor, é nesse tempo que restauras o reino a Israel? " (Atos 1:6). Ele não respondeu-lhes dizendo que não haveria reino. Invés, Ele os disse que não era para eles saberem os tempos (Atos 1:7).
Jesus nos deixou com muitos sinais pelos quais aguardarmos, pois os sinais é que marcariam a época da Sua chegada. Esses sinais estão por todo lado hoje. Jesus voltará em breve. Ele reinará em majestade de Jerusalém, e os Resgatados terão parte nesse reino com Ele (2 Timóteo 2:12 e Apocalipse 2:26-27). Estamos vivendo com os dias contados.
Você está pronto?

No comments:

Post a Comment